Caso Neymar

Latino, o cantor, dizia que transou com mais de mil mulheres. Se uma mulher dissesse que transou com mais de mil homens, o que diriam dela?                                                                    Diziam que Djavan, o cantor, em cada show que fazia, pegava uma mulher para passar a noite. Se dissessem a mesma coisa da Anita, o que diriam dela?                                                  Tem muitos séculos de machismo e a raiz nao foi totalmente arrancada, ainda que se tenha avancado muito na luta pelos direitos e igualdade da mulher com relacao ao homem.

Nao devemos julgar ninguém à luz de preconceitos. Qualquer julgamento deve ser feito à luz de provas. Quem acusa, tem que provar.

Nao devemos ser como os Moros da vida que condenam sem provas ou como os STFs da vida que, apesar de provas o suficiente para condenar ou abrir processos, deixam que crimes prescrevam.

Casos como esse, a corda arrebenta sempre do lado mais fraco, mas nao devemos também presumir que o lado mais fraco é sempre o que tem razao. Vamos deixar que quem de direito julgue e que justica seja feita, porém qualquer pré-julgamento que facamos, e todos o fazem, vamos faze-lo sem preconceitos.

 

 

Share this:
Share this page via Email Share this page via Stumble Upon Share this page via Digg this Share this page via Facebook Share this page via Twitter
This entry was posted in generalidades. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


× 5 = quarenta

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>